Puros & Vinhos

quinta-feira, novembro 16, 2006

CRÓNICA DE UMA CORRIDA DE “TOROS” NO CLUBE VILAFRANQUENSE



No dia 15 de Outubro realizou-se uma prova de vinhos da região espanhola de “TORO” , na simbólica casa “ Clube Vilafranquense”, uma casa centenária nascida em 1886 com o objectivo de criar dentro de Vila Franca de Xira um lugar onde se pudessem reunir as pessoas da cidade com o intuito de confraternização e elevar parâmetros culturais da cidade, organizada pelo “Empresário” Paulo Sousa que reuniu 3 Toros bravos e nobres: Campo Eliseo 2003 (15,5% vol de peso) da “ganadaria” J. & F. Lurton, Pintia 2003 (15,0% Vol de peso) da “ganadaria” Vega Sicilia e o Numanthia 2003 ( 14,50% vol de peso) da “ganadaria” Numanthia Termes. Estávamos na presença de três belíssimos exemplares.
Para lidar estes “TORO” foram convidados os bravíssimos matadores: Paulo Sousa “El Virtuoso”; Mário João “El Comandante”; António Chaparro” El Louco”; António Matos “ El Presidente”; Luis Pedro “ El Diablo” e Luis Diniz “ El Careca”.Por sorteio os “Toros” surgiram na praça ( mesa ) por esta mesma ordem. E como não estou aqui para julgar os matadores, cada um tem o seu estilo, vou fazer alguns comentários aos “TOROS”:

Campo Eliseo2003-Entra violento e forte, nariz denso, profundo, com fruta madura a lembrar compota de cereja e ginga, até faz cócegas no nariz. A madeira confere estrutura ao carácter da fruta, introduzindo componentes a rebuçado e caramelo. Mas a virtude reside na vivacidade e frescura deste conjunto de aromas, carinhosamente envolvidos por uma vertente doce. Na boca revela força, estrutura, densidade. Os taninos pujantes, plenos de densidade, agarram o palato com garra, aprofundando sabores a fruta. São secundados por uma acidez fresca que prolonga a nossa imaginação para além do real. Tem raça e futuro este grande TORO.

Pintia 2003- A sua entrada foi a mais comedida de todas, cor vermelho escuro, denso, com bordos muito levemente acastanhados.
Mal se pega no copo levamos com uma enorme bofetada de aromas de torrefacção, muito café, uma mistura de arábica e robusta. Depois vêm as notas, os aromas especiados, as notas balsâmicas e o embalo suave do caramelo. Fruta? Isso não há muita, mas há compotas, sobretudo compota de tomate e ameixa.
A boca? Uma surpresa, uma surpresa bem agradável! Afasta-se do perfil transmitido pelo nariz e caminha para um vinho mais vivo, mais alegre, muito mais composto, harmonioso e complexo. Acidez viva, taninos corajosos, por vezes impetuosos, sem nunca serem agressivos, mostra-se simultaneamente fresco, potente e harmonioso. A fruta mostra-se de forma muito mais evidente na boca, a madeira revela integração exemplar e ficamos com vontade de elogiar a mestria de quem soube retirar as mais valias da madeira, sem incorrer nos seus defeitos. Estrutura franca, elegante, é um bom exemplo do que a casta Aragonês pode atingir.

Numanthia 2003 – Entra em praça com pujança. Preto! Negro! Vinhos assim tão escuros e impenetráveis deviam ser proibidos por lei! Surgem, vindos da profundeza do copo, aromas adocicados, fruta muito madura, quase passa, compota de morango, cereja em calda, essa "estranheza" acaba por não nos largar durante a prova, é nessa fase que o álcool mostra as suas garras afiadas.
Ataque violento, duro, uma clara tentativa de intimidação, um vinho feito para impressionar o Matador, uma manifestação de "show-off". Pastoso, quase mastigável, gordo, harmonioso, elegante em proporção, sobrando musculatura e agressividade.

E assim acabou esta excelente “corrida” proporcionada pelo “Empresário” Paulo Sousa pelos “TOROS” disponibilizados e pelo “Director de Corrida” Sr Presidente António J. Matos pela disponibilização da praça.


8 Comments:

Blogger PAULO SOUSA said...

Estou estupefacto com esta maravilhosa crónica,mais uma vez muitos parabéns ao nosso Presidente por mais esta pérola jornalistica.

Um abraço a todos os puristas

Paulo Sousa

12:45 da tarde  
Blogger Antonio.Chaparro said...

Estou espantado com a qualidade jornalistica do nosso Presidente (o Sr. Mascarenhas do vinho).

Parabens por mais esta belissima crónica e 1 grande abraço.

2:35 da tarde  
Anonymous Chalana said...

Excelente descrição da "corrida", o nosso presidente está em altas....

Só foi pena não chamarem bandarilheiros à praça....

Um abraço aos bloggers.

3:24 da tarde  
Anonymous mário joão said...

Sim senhor ! Oportunidade e timing jornalistico na hora !Qualidade de adjectivação, uso desmesurado de qualificativos numa prosa escorreita e agradável ! Grande crónica !!!!!!Os meus sinceros parabéns ao nosso presidente por mais esta perola em estado liquído !
Um abraço ao Presidente António J. Matos que tão BEM nos recebeu - honrando a hospitalidade das gentes da leziria e do Ribatejo - e participou nesta grande corrida de belos TOROS ! Um grande bem haja a esse novel empresário de seu nome Paulo Sousa que arriscando montou uma grande corrida numa antiga e bonita praça em honra da Notavel VFX .
"El Comandante" (bonito epiteto...) se despede com um grande abraço a todos os aficcionados desta grande praça que é a vida celebrando a amizade.

3:31 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Y olé! Toreros buenos

1:47 da tarde  
Anonymous luis ferreira said...

Primeiro, PARABÉNS. Vim parar a este blog por acaso mas ainda bem: fico feliz por saber que há cada vez mais e melhores apreciad... perdão, "aficionados" do vº nível...
Segundo, só uma curiosidade: e que "bandarilhas", leia-se pratos, para não pegar de cernelha com semelhantes Toros...?

11:25 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Com ganaderias de prestígio como estas, só podem acontecer corridas de TOROS de alto nível. Parabéns ao nosso presidente, um abraço para os Toureiros.
Antonio Matos

12:47 da tarde  
Blogger PAULO SOUSA said...

Não houve jantar,só uns patas negras e queijo.

5:37 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

<