Puros & Vinhos

segunda-feira, outubro 13, 2008

Chegaram as Edições Limitadas 2008 de Habanos

Começaram a ser distribuidos pelos vários mercados europeus, e desde logo pelo português, as três vitolas das Edições Limitadas 2008 de Havanos. Tratam-se dos Sublimes da MonteCristo, as Pirâmides da Cuaba e o Serie D nº 5 da Partagás.

Estas três vitolas que compõem as Edições Limitdas 2008 que agora passam a estar disponíveis apresentam-se com formatos da predilecção dos fumadores portugueses, e se os níveis de qualidade que caracterizam as Edições Limitadas se mantiverem, irão constituir um sucesso junto dos fumadores mais exigentes e sofisticados.


O MonteCristo Sublimes é um Grand Robusto, com um generoso cepo de 52 (diâmetro 20,64 mm) e com um comprimento de 164 mm. Está vestido com uma bela capa de um tom castanho forte, que os cubanos chamam de colorado, e as folhas de tabaco que o enrolaram, desde da tripa, ao capote e à capa, especialmente seleccionadas para poderem ostentarem a cinta de edição limitada, passaram por um processo de envelhecimento, de pelo menos dois anos. As características deste charuto são as típicas da MonteCristo, com a sua fortaleza média-forte e com os seus aromas complexos. Estes MonteCristos especiais apresentam-se em caixas de madeira natural com 10 charutos.


A outra vitola destas Edições Limitadas 2008, é o Cuaba Pirâmides. Pela primeira vez a marca Cuaba é seleccionada para uma Edição Limitada. Estas Pirâmides têm um comprimento de 156 mm e um cepo 52 (20,64 mm). Este Figurado irá seguramente ao encontro do gosto dos grandes apreciadores deste tipo de formato. Apresentam-se também com uma capa de cor castanha, bem enrolado, e espera-se que nesta vitola de Edição Limitada se manterá a mesma liga de tabacos que distingue a marca Cuaba, com os seus aromas e sabores “amadeirados”, e com uma fortaleza média-forte. Apresentam-se em embalagens de 10 unidades.


Finalmente o Partagás Serie D nº5 que, desde que foi anunciado por Habanos SA em Fevereiro passado, tem criado uma grande expectativa entre os muitos fumadores habituais dos Partagás Serie D nº 4. Este Serie D Nº 5, tem um comprimento de 110 mm e um cepo 50 (19,84 mm). Trata-se por isso de um pequeno formato, com um diâmetro de um Robusto. Poderemos dizer que é um Pequeno Robusto, embora este formato, na marca Hoyo de Monterrey, seja ligeiramente mais pequeno em 8 mm. São muitos os que vaticinam um grande sucesso para esta vitola, tal como aconteceu com o Serie D nº4, pois manterá os sabores e aromas característicos e distintos da marca Partagás, mas também pelo seu pequeno comprimento, que estará mais de acordo com “estes tempos” em que muitos fumadores nem sempre disporão de tempo suficiente para degustar uma vitola de grande dimensão. Esta Edição Limitada apresenta-se em caixa de madeira natural com 25 unidades.


Tal como os Vintages do Vinho do Porto, ou as Cuvées Spéciales Millésimées do Champagne, também estes charutos de Edições Limitadas, requerem do fabricante um grande empenho na sua qualidade final, pelo rigor na selecção das folhas de tabaco, oriundas seguramente das melhores vegas, cuidadosamente envelhecidas, por um período de pelo menos dois anos, e serem estes charutos enrolados pelos melhores e mais experimentados torcedores. Desde que se iniciaram em 2001, estas Edições Limitadas tem proporcionado algumas e boas surpresas. É o que se espera, venha a suceder, com estas três vitolas especiais de 2008.


Post Scriptum: esta foi a contribuição de mais um anónimo.


purosevinhos@gmail.com

7 Comments:

Blogger PAULO SOUSA said...

Prometem...

10:35 da tarde  
Blogger PAULO SOUSA said...

O Tó Lemos ficou abismado com o Partagas...

3:30 da tarde  
Blogger Presidente said...

ainda não provei nenhum puro destes, mas fica a promessa de muito em breve haver aqui notas sobre estes puros e outros.

O Malé ficou abismado comum tal de Opus X belicoso xxx,eu também, pequeno em tamanho mas grande em qualidade.
Pena o preço.

5:41 da tarde  
Anonymous Antonio Amaro said...

É verdade.
Foi um "charutinho" porque não é grande, muito intenso e sem o peso final que alguns charutos costumam deixar.
Tal como disse, no café da manhã seguinte já me apetecia outro.

Abraços

6:18 da tarde  
Blogger PAULO SOUSA said...

O charutinho que falas é o Opus ou o Partagas?

11:34 da manhã  
Blogger Presidente said...

Experimentei este FDS o Partagas serie D nº5 e não fiquei muito impressionado.
O Puro é bastante encorpado, mas falta-lhe os bons aromas a cacau e chocolate que eu gosto num Puro.
Penso que ele é muito especiado e tem alguma pimenta que eu não aprecio.

12:07 da tarde  
Blogger PAULO SOUSA said...

Já exprimentei o Partagas serie d n 5,e francamente gostei do charuto.
Forteleza média com um bom tiro e bastante especiado.


Nota 16,5

10:48 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

<