Puros & Vinhos

segunda-feira, Novembro 19, 2012

Crónica do jantar do 9º aniversário






Aqui estamos novamente, depois de uma longa pausa nos nossos encontros vínicos consegui reunir 12 confrades dos Puros & Vinhos para comemorar o 9º aniversário do grupo.
Foi um jantar agradável onde a boa disposição e o gosto pelos vinho e gastronomia estiveram em evidência.
Para acompanhar uma escabechada de codorniz envolta em maçã assada e queijo de cabra, veio a praça um branco bairradino.

ANTE ÆQUINOCTIUM VERANUM GRANDE RESERVA BRANCO 2010 - Um branco feito de Bical, Arinto, Chardonnay e Maria Gomes . O produtor não se poupou a despesas e nota-se uma preocupação evidente tanto com a escolha da madeira como com a selecção de matéria prima. É um vinho intenso com os "tiques" da madeira bem presentes nos tostados fortes, mas também se distinguem notas de a pêssego, alperce e muito mineral tornando o vinho fresco e aprazível.
A prova de boca revela um vinho gordo, redondo, encorpado, um branco bastante diferente do padrão comum português. A madeira está presente, com uma excelente acidez dando uma maior vivacidade, não o tornando plano. Vê-se que é um vinho ambicioso e bem feito. 
Média final : 16,25
Custo: 22,5€

O segundo vinho branco seria um representante do Alentejo.
 HERDADE DO PERDIGÃO RESERVA 2008 - O grupo tem o hábito de levar duas garrafas de cada exemplar para melhor apreciação do néctar. Nesta prova existiu a particularidade de uma das garrafas o vinho estar alterado. A primeira garrafa aberta apresentava uma cor amarela carregada dando a impressão de ser um vinho com alguma idade, enquanto a segunda apresentava uma cor amarela cristalina. Optei por comentar a segunda garrafa por achar que estava melhor. E neste espaço não gosto de castigar os produtores.
Apresentou um nariz fresco, vegetal, com apontamentos que sugerem uma salada de fruta. Leve madeira confere-lhe estrutura. Na boca entra amplo e fresco, evoluindo de forma equilibrada e directa para um final moderado, de complexidade média e acidez vincada. Apesar de não existir muita profundidade de sabores, onde predomina o vegetal, o conjunto consegue rasgos de prazer e frescura.
Média final: 14,85
Custo: 12€ 

 
 Para acompanhar um bacalhau fresco cozido a baixa temperatura acompanhada por uma batata envolta em frarinheira. E um joelho de porco com maçã e castanhas, abriram-se 3 vinhos tintos de grande qualidade. Vou comentar pela ordem de entrada em cena.

 MARIAS DA MALHADINHA 2004 - Este vinho já tinha sido provado num grandioso jantar de Natal dos Puros & Vinhos de 2007. E o tempo veio dar razão á apreciação feita na altura. O tempo veio dar maior amplitude á fruta integrando-a com a madeira e a acidez dando uma prova bem mais aprazível do que naquela altura. Apresenta uma lindíssima e atractiva cor violácea sobre um fundo escuro. Encerra um rico aroma frutado, fruta vermelha e fruta preta, e desvenda sobretudo agradáveis notas florais. Primeira surpresa, a acidez viva, inesperada. Alinha nitidamente na elegância, todo ele é suavidade, veludo, seda, um vinho apelativo e sedutor. A estrutura é interessante, denota uma certa ausência no meio do palato, mas o fim de boca é persistente e de boa qualidade. Os taninos são gulosos, quase doces, mas estão lá em profusão e asseguram um fim de boca muito longo.
Média final: 17,65
Custo:50€

QUINTA DA CASA AMARELA GRANDE RESERVA 2009 DOURO MAGNUM - Começando logo pelo impacto visual, pela cor púrpura retinta, quase preta, intensa, com bordos violetas muito escuros. É logo um começo impressionante.
O aroma é denso, espesso, carregado, pastoso, sugerindo de imediato um vinho profundo e misterioso. Sente-se muito ligeiramente a madeira, mas sem sobressaltos. Maduro, imensamente frutado, com fruta rica, carnosa, complexa, sempre equilibrada e com alguma tensão.
O ataque na boca é excelente, poderoso mas contido, contundente mas preciso. Belíssima acidez, tem um recorte, uma moldura mineral, muito elegante, "fresca" e intensa. Taninos musculados, maciços, mas superiormente integrados na estrutura do vinho. Está gordo, carnudo, é está cheio de potencial para ainda crescer.
Média Final:16,83

NOON ECLIPSE 2010 AUSTRÁLIA - Este é o primeiro vinho australiano com uma composição mais complexa do que outros apresentados em encontros anteriores. As castas presentes neste vinho : 45% Grenache , 35% Shyrah, 5% Cabernet Sauvignon  e 15% Graciano. Apresenta uma cor granada profunda, oferece um nariz intenso e complexo, com um núcleo de cerejas negras maduras e amoras, muitas notas de menta, chocolate escuro, violetas e torradas. Encorpado e elegante na boca, ele oferece uma excelente concentração de fruta, marcado por uma acidez elevada e com taninos agressivos que agarram o palato. O final é longo e em camadas. 
Média Final: 17,33
Custo:55€

Para finalizar entrou em praça um belo Sauternes que acompanhou a sobremesa.

CHATEAU SUDUIRAUT 2006 SAUTERNES- Este vinho apresenta uma cor ouro, muito opulento no aroma, intensamente inebriante de frutas, especialmente abacaxi, caramelo derretido, e melaço de laranja. Untuosamente texturizado, encorpado com soberba riqueza, e boa acidez subjacente, e um final impressionante. Sua densidade permanece, com frescura até ao final do palato.
Média Final:17,85
Custo:49,5€



Deixo aqui um agradecimento ao Restaurante Clube em Vila Franca de Xira, foram uns excelentes anfitriões e presentearam o grupo com uma refeição esmerada e com alto grau de qualidade.
purosevinhos@gmail.com

3 Comments:

Blogger Mario Joao said...

Boa tarde a todos os confrades !
Mais uma óptima jornada gastronómica do Puros & Vinhos, muito valorizada pela ausência de provas durante o ano de 2012. Foi um excelente reencontro. Eu, pelo menos, já tinha saudades destes encontros.
Gostei muito do branco que "levei" que foi uma grande surpresa bairradina : um vinho muito bem feito com uma excelente boca ( muito bom, mesmo) embora parco em aromas talvez por ser muito mineral. Uma boa escolha sem dúvida.
Nos tintos destaco o Marias da Malhadinha : excelente nos aromas e na prova de boca ( pena o preço penalizador de cada garrafa senão tornava-se um hábito... )
O Sauternes "assustou-me" no impacto inicial por causa da cor. Mas nos aromas e na prova de boca foi excelente e estava no ponto de frio!
No que aos puros diz respeito encerrei com um Short Churchills da Romeo y Julieta que estava no ponto e me soube divinalemente.
Foi um prazer e penso já no próximo encontro jantar de Natal ( e marcado para a altura dos Reis).

5:28 da tarde  
Blogger Mario Joao said...

"divinalmente" ... assim é que me soube ! ;-)

5:31 da tarde  
Anonymous Morais said...

Como seguidor deste blog, felicito-vos pelas escolhas, pena no final não ter havido Puros.

6:07 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

<