Puros & Vinhos

sexta-feira, setembro 11, 2009

Prova á Quinta Pós-Férias

Vale Pradinhos Branco 2008 (Trás-os-Montes) - Cor amarela palha, muito clara. Uma explosão, de frescura, fruta e aromas vegetais de tal magnitude que as narinas tremeram do impacto! O perfume é inebriante, empolgante, estonteante e as ondas de impacto ressoam pelo copo. O maracujá pulsa, a erva parece acabada de cortar, a lima acabada de espremer, enfim, o panorama é viciante e damos conta que levamos o copo uma vez mais ao nariz, e outra, e outra, e outra, sem conseguir parar. A vastidão da fruta, a imensidão e a intensidade de aromas eventualmente não são deste planeta. Tudo bem, não é subtil, não é discreto, é espampanante e guloso. Média:16,75

Monte Cruz Antão Vaz 2008 Br (Alentejo/Portel)-Embora o nariz não seja muito comunicativo, descobrem-se notas minerais agradáveis, abundante fruta citrina com predominância de limão, um fundo de alfazema, tudo imagens aromáticas que nos transmitem visões de amendoeiras em flor... numa paisagem alpina! Na boca é a maçã Granny Smith que comanda, muita maçã verde num vinho austero e seco no final, com um belo comprimento de boca. Uma junção curiosa entre potência, estrutura, secura e finura no mesmo copo. Média Final: 16

Esporão Reserva 2007 Br (Alentejo) - Cor cristalina. Nariz fresco, vegetal, com apontamentos que sugerem uma salada de fruta. Leve madeira confere-lhe estrutura. Na boca entra amplo e fresco, evoluindo de forma equilibrada e directa para um final moderado, de complexidade média e acidez vincada. Apesar de não existir muita profundidade de sabores, onde predomina o vegetal, o conjunto consegue rasgos de prazer e frescura. Média:15

Quinta do Crasto Reserva Vinhas Velhas 2003 Tn (Douro) - Granada baço com média concentração e apontamentos violáceos no bordo. Início pouco expressivo com um aroma difuso a mostrar lenho, notas vegetais pouco pronunciadas, algum rebuçado de morango e uma vaga sensação a madeira húmida. Só com o arejamento as coisas mudam de figura: sobressai a fruta vermelha -morango, framboesa e groselha-, discreta violeta, apontamento terroso, vinco tostado e pontas adoçicadas que lhe dão um toque caramelizado. Macio, embora modesto no corpo, com a acidez a proporcionar um ataque redondo e relativamente fresco. Sem desequilíbrios, mas muito linear no palato, acusando alguma diluição de sabores e com a marca do lenho a envolver o fruto. Despede-se com correcção, deixando a marca de um tanino miúdo a envolver as notas de framboesa. Tudo certinho, arranjadinho e muito compostinho. E, contas feitas, não será completamente descabido falar em delicadeza porque o vinho arrasta consigo uma óbvia "costela" feminina. Pena a vulgaridade da estrutura, não se descortinando forma de lhe prolongar a vida em garrafa. Média:15,75

Quinta das Marias Touriga nacional Reserva Tn (Dão) - Nariz complexo, de qualidade superior, um bocado fechado. Emana cereja e ginga,, no limite da concentração aprazível. A baunilha e as especiarias cobrem aromas a fruta. O conjunto é avivado por uma frescura indispensável, sóbria, que não retira protagonismo ao fruto. Um ramo de violetas surge, por vezes, para desafiar a nossa imaginação, num conjunto que conseguiu um equilíbrio notável da fruta. Na boca, sabores frescos a fruta, de concentração equilibrada, percorrem as paredes do palato de forma gulosa e distinta. Os taninos, envolvidos nesta estrutura, colam-se às paredes do palato, conferindo profundidade e longa persistência de sabores a cereja, ginga e leve madeira. A acidez enaltece o conjunto, acabando por polir um final de boca distinto, equilibrado e sedoso. Tal como no nariz, a prova de boca consegue um equilíbrio notável da fruta. Média:16,87

Monte Cruz Syrah 2006 Tn (Alentejo) - Mostra cor rubi de concentração mediana, aromas a apontar para a fruta madura e doce, um toque de vegetal seco e uma pincelada de pimenta branca. Corpo franzino, confirma a mensagem transmitida pelo nariz, com fruta doce, simples e sincera, mostrando um final de intensidade e comprimento mediano. Taninos ligeiros, temos um tinto muito leve que precisa engordar em futuras edições.Média:16,12

Herdade dos Grous 23 Barricas 2007 (Alentejo) - Tonalidade rubi concentrada a suportar um aroma rico e poderoso onde o álcool aparece bem integrado. Início marcado pelas notas de canela e noz moscada. Sugestões de cedro a conferir algum exotismo a um conjunto onde a fruta macerada -ameixa, cereja e amora- se mistura com as especiarias. Impressivo na entrada, encorpado mas não pesado, e munido de uma acidez suficiente para que a doçura frutada não se torne enjoativa. Muito bem doseado na extracção. Taninos persistentes, mas muito polidos, a ampararem o fruto e as sensações tostadas no final. Eu gostava de ter encontrado maior persistência final.Média:16,5

Falcoaria Reserva 2007 Tn (Ribatejo) - A madeira dá suporte a aromas de frutos vermelhos, florais e vegetais. Na boca o vinho está austero. Os taninos conferem uma secura que encobre os sabores da fruta. O vinho tem corpo médio/cheio. O comprimento no palato é moderado, e o final de boca é médio/longo. A acidez é elevada e promete um bom futuro para o vinho.Média:15,87



Finca Sandoval 2006 (Manchuela/Espanha)-. Este Finca Sandoval apresenta cor grenat muito intensa, do mais opaco e profundo que tive oportunidade de observar. Aspecto denso, compacto, cerrado, maciço, a deixar adivinhar um vinho muito concentrado e potente. Mostra aromas de fruta muito madura, amoras, cassis, cereja, ameixa preta e mesmo uva passa. A boca não esconde a sua origem de terra quente, embora consiga manter todos os componentes em equilíbrio e harmonia. É um vinho que impressiona pela dimensão e pela potência, sendo contundente na estrutura. É amplo, com corpo cheio, com taninos maduros e fortes e com um evidente predomínio da componente frutada sobre as restantes. Com boa acidez que contrabalança a doçura, é sem dúvida um vinho muito guloso e atraente. Final longo e concentrado. Média: 17

3 Comments:

Blogger PAULO SOUSA said...

Boa noite,
Para já aprás-me registar o numero significativo de visitas que o nosso blog teve hoje(+de 150),para um blog de amadores não está nada mal.
Foi uma boa prova,muito equilibrada,e o meu destaque vai para o Vallepradinhos,excelente produto.

Um abraço

10:58 da tarde  
Blogger Mario Joao said...

Foi bom regressar a estas provas, ás quais não comparecia há algum tempo. Uma abraço aos participantes em mais uma Prova às Quintas...
Dizer que achei piada ao Bernardo ter levado a Qta do Crasto 2003 Reserva Vinhas Velhas porque foi uma das garrafas que pensei levar, acabando por me decidir pela 23 Barricas e ainda bem ( embora fosse engraçado se tivessem saído à praça duas botellas iguais - que reacções teria provocado ? ).
Gostei do 23 Barricas ( mais do que o Moon Harvest ) mas impressionaram-me o Vale Pradinhos , que acho que tem uma excelente relação qualidade preço e gostei bastante do Quinta das Marias e do Finca Sandoval que tem um final persistente.
Prova simpática... venha a próxima!
Abraço a todos

11:29 da tarde  
Blogger PAULO SOUSA said...

Antonino Izquierdo,um nome a não esqucer...Um grande Ribera del Duero.

10:37 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

<